Colecção DC Levoir/Público – 7.º Volume: Universo DC

(Prometo tentar informar aos menos conhecedores de BD acerca da acessibilidade desta coleção, ou seja se é fácil ou não ler sem saber muito mais coisas)

Grau de acessibilidade: Difícil mas…
Sai amanhã, Quinta-feira, dia 22 de Agosto, junto com Público e custa 8,9€


Nota – Não partilho da opinião que tem de se saber tudo para acompanhar bem uma história. Parte da “magia” da BD americana reside na descoberta posterior, na paciente reconstrução do puzzle. Mas para aqueles que não têm tempo e paciência aqui fica este meu pequeno esforço.

Desta vez tive de colocar de início a nota que apenas aparecia no fim destes artigos. A razão é simples: foi mais ou menos na Crise nas Terras Infinitas, a mega saga a ser lançada nestas próximas duas quintas-feiras, que fui apresentado ao Universo de super-heróis da DC. E não me fez confusão quase nenhuma. É verdade que nunca tinha ouvido falar da maior parte dos personagens que apareciam, mas isso não foi impedimento para usufruir da história. Pelo contrário! Com o passar dos anos tornou-se num dos incontornáveis momentos da infância enquanto leitor de BD.
A DC Comics estava a festejar os seus 50 anos por volta de 1985 e decidiu reestruturar o universo de super-heróis tornando-o mais fácil de entender. Nas últimas 5 décadas haviam-se acumulado diferentes versões do Super-Homem, Batman e Mulher-Maravilha, cada uma habitando uma Terra diferente. Cada Terra residia num universo diferente, contribuindo para uma tapeçaria que foi apelidada de multiverso. Um multiverso infinito. Existia a Terra-1 (a atual), a Terra-2 (onde viviam o Super-Homem, Mulher-Maravilha e Batman originais, os da década de 40), Terra-X, Terra-S, etc. Segundo os donos da DC, tudo isto era confuso demais e decidiram incumbir a equipa criativa mais famosa à altura de simplificar o multiverso e reduzir as terras infinitas a apenas uma única. A equipa foi Marv Wolfman, como escritor, e George Pérez, como desenhista, e assim nasceu a primeira saga verdadeiramente apocalíptica da mitologia dos super-heróis: Crise nas Terras Infinitas.

Universos morreram, biliões de almas foram condenadas ao esquecimento. Deuses pereceram em batalhas titânicas e o destino da realidade esteve nas mãos de todos os super-heróis do cardápio ao dispor da DC. O vilão responsável, o Anti-Monitor, movia-se numa escala inaudita à data. A palavra Mal não era suficientemente grande para o descrever. Tudo isto servido em doses mensais e durante 1 ano. Não houve, até hoje, mais nenhuma história desta dimensão nem com as repercussões que teve. Continua a ser uma referência emocional para muitos leitores de BD e, caso não tenham percebido, eu sou um deles. Mesmo que a qualidade não tenha amadurecido muito bem com o passar do tempo, continua a ser um marco histórico na banda desenhada americana.
Não é, decididamente, para todos os gostos porque acaba por ser uma história pura de super-heróis. Aqui não existem subtextos ou meta-textos. Esta é a história que a meta-literatura usa como referencial. E eu, sempre que posso, releio.
O segundo volume sai na próxima quinta-feira, dia 29 de Agosto.

6 comentários:

Nuno Amado disse...

Quando comecei a ficar já um pouco farto da Marvel, decidi que tinha de entrar no Universo DC. E foi por aqui que comecei. Investiguei qual a melhor maneira de entrar neste Universo e toas as pessoas que conheciam bem DC me disseram: lê as "Crises" todas por ordem cronológica. Depois disso poderás comprar o que quiseres dos heróis que quiseres que nunca te vais sentir "perdido".
Assim comprei Crisis on the Infinite Earths! A primeira (mas não a melhor) Crise!
E foi também o meu primeiro Absolute...
:D
A melhor "Crise" na minha opinião, e também um dos melhores livros de BD que eu conheço, é Identity Crisis!
(Que também vai sair nesta colecção)
;)

SAM disse...

É daquelas coisas que ou se ama ou se odeia, principalemnte se o leitor fôr de fora da BD. Eu sou dos que adora, mas reconheço que tenho a linguagem assimilada e interiorizada. Gostava, contudo, que mais pessoas tivessem o prazer de a ler e a descobrir.

Optimus Prime disse...

Por acaso só tenho metade da saga a 2 parte num tpb sc zuca que arranjei numa banca,vale mais pelo desenho e a morte do Flash.
Quando comecei com Dc a crise era bem antiga foi na epoca da outra megasaga a Invasão,claro que li Batman Ano 1 e Man of Steel em compilação em formatinho o 2.

SAM disse...

Optimus, obrigado pelo comentário.

Sou um fã da Crise e de algumas das que se seguiram (tal como o Nuno, gosto muito da Crise de Identidade ;-). Reconheço que tem falhas de enredo e de qualidade de história, mas sou um tendencioso quando se fala de sagas épicas cósmicas. Adoro-as! E esta foi das minhas primeiras.

Estou com alguma vontade de a reler em português.

RC disse...

Pedro, é este o livro de quem falaste esta tarde?

SAM disse...

Yep, foi.