Ólhá musiquinha fresquinha! - Bombay Bicycle Club

Todos os Domingos (ou quase todos) deixamos uma pequena sugestão de grupo ou artista de Música. Algo que podem ou não conhecer. Assim, têm com que se entreterem durante a semana.

Esta semana sugerimos o Indie Pop dos Bombay Bicycle Club

Cliquem na imagem para visitarem a página no Spotify.

Ou então podem deslocar-se a lojas em Lisboa como a Louie LouieFlurCarpets & SnaresCarbonoGroovie RecordsDiscolecçãoVinil ExperienceGlam-O-RamaMagic BusSound Club Vynil Store, e comprar, que os artistas agradecem ainda mais (cliquem nos nomes para irem à loja ou página online).


Álbuns para Sempre, 133

Existem músicas que permanecem. São mais do que prazeres. São memórias. 

São nossas e dos outros. Como em nenhuma outra arte, a Música é comunhão. Quer por estarmos num concerto, quer porque a ouvimos no conforto de casa.

Todos os fins-de-semana vão poder ouvir um álbum que me marcou. Esta semana é de Chemical Brothers e do LP Dig Your Own Hole. 

Cliquem na imagem para ouvi-lo no Spotify.

Ou então podem deslocar-se a lojas em Lisboa como a Louie LouieFlurCarpets & SnaresCarbonoGroovie RecordsDiscolecçãoVinil ExperienceGlam-O-RamaMagic BusSound Club Vynil Store, e comprar, que os artistas agradecem ainda mais (cliquem nos nomes para irem à loja ou página online).

Os gostos têm tendência em unir pessoas na amizade. Eu e o Filipe Faria - escritor extraordinaire da saga Crónicas de Allaryia e tradutor incansável - temos uma devoção imortal pelos mundos da DC Comics. Ele é fã incontestável do Super-Homem e eu devoto da igreja da Diana de Themyscira. O Filipe tem uma colecção de momentos curiosos dos 80 anos de publicações desta editora. Todas as Sextas ele vai tentar colocar aqui um. Eu apenas publico e nada mais. 

Hoje temos um inDCência que toca num tema intemporal: quem é que casa com o Homem de Aço?

Uma BD por dia, não sabe o bem que lhe fazia - até ao primeiro dia de 2020!



Tenho participado de uma brincadeira no Facebook: enumerar uma BD por dia até 2020. Começou há alguns meses, mas só agora dou-me ao trabalho de aqui a reproduzir. Mostro, hoje, as escolhas desta semana, com link na imagem para o texto que escrevi sobre o livro, ou um nhónhózinho, caso ainda não tenha falado dele.

A temática, até 31 de Agosto, são BDs que podem e devem ser lidas por qualquer pessoa. Só têm de ter um requisito: gostarem de ler. 

Música à Quarta! Wednesday Music!


Neste Blogtodas as quartas-feiras, compilo uma lista de álbuns que ouvi durante a semana e faço um post com ligação ao Spotify,  onde podem ouvir o que ouvi. 

Ou então podem deslocar-se a lojas em Lisboa como a Louie LouieFlurCarpets & SnaresCarbonoGroovie RecordsDiscolecçãoVinil ExperienceGlam-O-RamaMagic BusSound Club Vynil Store, e comprar, que os artistas agradecem ainda mais (cliquem nos nomes para irem à loja ou página online).

Em baixo podem encontrar a lista. Destaco a bold os álbuns que mais gostei.

Veja Você na TV! The Good Place (Netflix) e Euphoria (HBO)


Disse-o ontem aqui no Blogue e não tenho vergonha de o repetir: as séries de TV continuam num pico criativo invejável. Elas eram o parente pobre do audiovisual, mas, de há 20 anos a esta parte, têm igualado e, em alguns casos, superado o que de melhor se faz e fez no Cinema.Tomem como exemplo estas duas que vos trago hoje: The Good Place (da NBC e disponível na Netflix) e Euphoria (da HBO). Duas obras francamente diferentes, mas capazes de dar uma qualidade de escrita e/ou de realização apenas reservada aos melhores artistas da praça.

Once Upon a Time In... Hollywood de Quentin Tarantino

Um filme de Tarantino é um acontecimento. As salas enchem-se para ver o que o realizador tem de novo para dizer. Nos dias que correm, de franquias, dos super-heróis, dos remakes e das sequelas, é um caso raro. Nos últimos anos, parece estarmos sujeitos a uma barragem de publicidade a merchadise e a outros produtos que nada têm a ver com Cinema.  A cada ida às salas, parece estarmos mais longe da obra autoral. Não quero com isso dizer que não podemos ter entretenimento, mas a hegemonia do produto concebido para agradar a adolescentes, a crianças e a investidores é avassaladora. Associe-se o facto da narrativa na TV estar a criar histórias mais plurais e, muitas delas, direccionadas a um público adulto, e criou-se um ambiente de crise criativa na sétima arte. E isso é ainda mais visível em Hollywood, nem que seja pelo número elevado de filmes a que estamos sujeitos vindos dessas geografias.

Ólhá musiquinha fresquinha! - Heather Nova

Todos os Domingos (ou quase todos) deixamos uma pequena sugestão de grupo ou artista de Música. Algo que podem ou não conhecer. Assim, têm com que se entreterem durante a semana.

Esta semana sugerimos o Indie Pop de Heather Nova

Cliquem na imagem para visitarem a página no Spotify.

Ou então podem deslocar-se a lojas em Lisboa como a Louie LouieFlurCarpets & SnaresCarbonoGroovie RecordsDiscolecçãoVinil ExperienceGlam-O-RamaMagic BusSound Club Vynil Store, e comprar, que os artistas agradecem ainda mais (cliquem nos nomes para irem à loja ou página online).



Álbuns para Sempre, 132

Existem músicas que permanecem. São mais do que prazeres. São memórias. 

São nossas e dos outros. Como em nenhuma outra arte, a Música é comunhão. Quer por estarmos num concerto, quer porque a ouvimos no conforto de casa.

Todos os fins-de-semana vão poder ouvir um álbum que me marcou. Esta semana é de Heather Nova e do LP Oyster. 

Cliquem na imagem para ouvi-lo no Spotify.

Ou então podem deslocar-se a lojas em Lisboa como a Louie LouieFlurCarpets & SnaresCarbonoGroovie RecordsDiscolecçãoVinil ExperienceGlam-O-RamaMagic BusSound Club Vynil Store, e comprar, que os artistas agradecem ainda mais (cliquem nos nomes para irem à loja ou página online).

Os gostos têm tendência em unir pessoas na amizade. Eu e o Filipe Faria - escritor extraordinaire da saga Crónicas de Allaryia e tradutor incansável - temos uma devoção imortal pelos mundos da DC Comics. Ele é fã incontestável do Super-Homem e eu devoto da igreja da Diana de Themyscira. O Filipe tem uma colecção de momentos curiosos dos 80 anos de publicações desta editora. Todas as Sextas ele vai tentar colocar aqui um. Eu apenas publico e nada mais. 

Hoje temos um inDCência à séria, não as fofinhas das páginas das BDs. Para os que não conhecem a história, envolve o Capitão Marvel original (que hoje é conhecido por Shazam!), o facto de a revista deste vender mais, na década de 40, que a do querido Super-Homem, e de a DC, à altura, ter cilindrado judicialmente a editora Fawcett ao ponto do cancelamento e posterior compra dos direitos de publicação.